As doenças causadas por água contaminada são muito frequentes em regiões onde o saneamento básico é deficiente, porém, não somente nessas regiões. Isso porque essas doenças também são adquiridas por meio das hortaliças mal lavadas.

Por isso, é preciso reforçar o tratamento da água em casa durante o verão e fazer a correta higienização dos alimentos naturais, como as hortaliças, que são mais consumidas nessa época. Essas atitudes evitarão que você e sua família sejam contaminados por doenças como estas:

1. Hepatite A

É uma inflamação que atinge o fígado, considerada de curso benigno e de cura espontânea, na maioria dos casos. É também conhecida como amarelão ou hepatite infecciosa.

Sintomas: dores e desconfortos abdominais, náuseas, vômitos, fadiga, dor muscular, perda de apetite, urina escura, febre e olhos amarelados.

Causa: é causada pelo vírus transmitido por meio da água contaminada com as fezes de uma pessoa infectada, quando essa água é ingerida ou utilizada para higienização de alimentos.

Tratamento: não possui tratamento específico, pois o organismo se encarrega de combater o vírus. São combatidos apenas os sintomas da doença.

2. Cólera

É uma infecção bacteriana que ataca o intestino delgado, podendo levar à desidratação do organismo e à morte.

Sintomas: os sintomas são decorrentes da doença e da desidratação, sendo eles: náuseas, vômitos, diarreia, boca seca, sede excessiva, letargia, queda da pressão arterial, irritabilidade, baixa produção de urina, ressecamento da pele e arritmia cardíaca.

Causa: a cólera é causada pela bactéria Vibrio Cholerae, ingerida por via fecal-oral, por meio da água ou alimentos contaminados, e ainda pela falta de higiene pessoal após o uso do banheiro.

Tratamento: o tratamento é feito por reidratação via oral ou intravenosa, além de suplementos de zinco e antibióticos.

3. Febre Tifoide

Mais uma das doenças causadas por água contaminada que está em nossa lista, a febre tifoide é considerada grave e causa diversos distúrbios orgânicos, podendo levar à confusão mental e morte.

Sintomas: seus sintomas são dores de cabeça, redução do ritmo cardíaco, mal-estar, febre alta, manchas rosadas no tronco, tosse seca, aumento do volume do baço, diarreia ou prisão de ventre e falta de apetite.

Causa: é causada pelo contágio da bactéria Salmonella typhi, transmitida através da ingestão de água ou alimentos contaminados com fezes, urina, vômito ou pus de pessoas que têm a doença.

Tratamento: o tratamento é feito por reidratação e ingestão de antibióticos. Em alguns casos, é necessária a internação para tratamento intravenoso.

4. Giardíase

A giardíase é uma infecção parasitária que atinge o intestino. Ela pode desaparecer completamente após algumas semanas do contágio com o parasita.

Sintomas: os sintomas são fadiga, mal-estar, diarreia aquosa, fezes gordurosas, inchaço e cólicas abdominais, náuseas, perda de peso e arrotos que deixam gosto ruim na boca.

Causa: é causada pelo parasita giárdia. Microscópico, ele está presente em águas contaminadas ou em alimentos, mas o contágio também pode se dar entre pessoas, pelo contato em sexo anal ou após o uso do banheiro e higiene pessoal insatisfatória.

Powered by Rock Convert

Tratamento: o tratamento é feito através de reidratação do paciente e da ingestão de medicamentos para combater o parasita, além de uma alimentação leve e em pequenas quantidades.

5. Amebíase

É uma infecção por parasitas que afeta o intestino, muito comum em áreas que apresentam carência de saneamento básico.

Sintomas: nem todas as pessoas contaminadas desenvolvem sintomas, mas algumas delas podem apresentar evacuação pastosa com muco e, eventualmente, com sangue, gases, cólicas abdominais, fadiga, dor durante a evacuação, perda de peso, vômitos, sensibilidade abdominal e febre.

Causa: é causada pelo parasita Entamoeba histolytica, presente na água ou alimentos contaminados. O contágio pode se dar também por relação sexual sem proteção.

Tratamento: para tratar a amebíase, é receitada a substância metronidazol, assim como para tratar os sintomas. Em casos mais graves, é preciso realizar uma cirurgia quando há perfurações de tecidos.

Dicas para prevenir a contaminação

Como você viu logo no começo do texto, a contaminação por essas e outras doenças pode acontecer com qualquer pessoa. Ainda que a residência receba todo o suporte de saneamento básico, ninguém está totalmente livre do contágio.

A melhor maneira de se prevenir contra esses problemas é tomar muito cuidado com a água que está sendo ingerida e é utilizada no dia a dia, e também com os alimentos que são levados à mesa.

Cuidados com os alimentos

A contaminação através dos alimentos pode ser evitada com a higienização imediata das hortaliças e frutas que são compradas. Elas não devem seguir diretamente para a geladeira: antes, elas precisam ser muito bem lavadas e desinfetadas. Essa atitude evita, inclusive, a contaminação dos demais alimentos que já estão na geladeira.

As fruas e legumes consumidos com casca devem ser esfregados com uma bucha ou escova para alimentos, e as hortaliças precisam ser lavadas com água corrente e deixadas de molho em solução desinfetante por 30 minutos.

No entanto, esses cuidados não são suficientes se a água que você utiliza para a higienização também estiver contaminada. Então, é essencial cuidar não somente com a água que é ingerida, mas toda aquela distribuída pela casa.

Cuidados com a água

Utilizamos a água para diversas funções no dia a dia, como tomar banho, lavar as mãos, cozinhar, higienizar ambientes e lavar a roupa. Por isso, toda a água da casa deve ser filtrada ou purificada para evitar doenças.

A água que você e sua família ingerem deve ser mineral e sempre adquirida de fornecedores de confiança. Evite marcas desconhecidas que não atestam claramente a sua origem e qualidade.

Outra opção é a instalação de filtros domésticos — e o primeiro deles deve estar na caixa d’água. O filtro para caixa d’água ajuda a reter as primeiras impurezas e impede que elas contaminem o reservatório ou danifiquem os encanamentos.

E para ter certeza de não estar consumindo água contaminada, utilize purificadores para reter qualquer resquício de impurezas ou possíveis micro-organismos que ainda tenham resistido ao processo de tratamento.

Lembre-se de que a eficiência de filtros e purificadores depende diretamente da manutenção que recebem. É essencial fazer a limpeza do equipamento e a troca do elemento filtrante no prazo indicado pelo fabricante.

Quando o equipamento fica sujo, ele perde sua eficiência e deixa passar impurezas, o que interfere na qualidade da água. Por isso, faça a manutenção constante da forma como é indicado no manual.

Para garantir saúde e bem-estar para você e sua família, é preciso estar atento a esses detalhes, a fim de evitar o consumo ou contato com água contaminada. E você pode fazer isso adotando essas medidas preventivas e mantendo esses hábitos no dia a dia!

Informações como essas são muito úteis para todas as pessoas, por isso, compartilhe nas redes sociais para que elas possam conhecer esses problemas e se prevenir também!